Arquivo da tag: Marinão

Aspas

O desejo chega a ser sublime quando encontra eco. Quase santo, quase sina, descarregando sua força de ímã.

Marinão anda mandando umas boas lá n’A Louca no Sótão.

This boots are made for fighting

A Meg detestou essa história de berne, então eu vou mudar de assunto.

Alguns anos atrás eu ganhei um dos presentes mais legais do mundo: botas de luta livre mongol.

Agora só falta gaanhar esse sungão luxo e esse bolerinho de coooouro

Eu nem sabia que tinha luta livre na Mongólia. Tinha acabado de voltar de uma temporada no México em que fui ver lutas de luta livre mexicana. E estava fissurada no assunto (e cheia de máscaras incríveis).
Eu também nem sabia que as pessoas iam à Mongólia a turismo. Mas Marinão, a pessoa mais curiosa e doida que eu conheço, foi. Não só foi como comprou as tais botas. E não só comprou as botas como deu as tais botas para mim.

Elas são lindas, não são?

Eu fiquei besta. Não dá para dizer: era tudo o que eu sempre quis. Porque, como eu disse, eu nem sabia que isso existia. Mas assim que vi as botas, elas viraram tudo o que eu sempre quis. E elas já eram minhas. Não seria nada mal se isso acontecesse com tudo que eu sempre quis.

Olha esse bico para o alto. Meio aladim, meio holandês

Eu não vou dar um Google em “mongolian wrestling” para escrever aqui um paragrafinho mostrando como eu sei do assunto. Se você quiser saber mais sobre o tema, sugiro esse link.

Só queria fazer um post não-nojento para a Meg (eu não gosto quando ela não gosta do bloguinho) e aproveitar para exibir minhas lindas botas mongóis.

Se eu as uso? Não aconteceu até hoje. Elas são revestidas de uma lã de algum bicho mongol que é muito quente. Se eu empresto? Depende.

1.485 caracteres com espaço

AWE MARIA! – a nova gíria

No momento, o meu quarto objetivo é fazer emplacar uma gíria.

Os três primeiros são:
– acordar mais cedo
– comprar uma TV HD
– receber o meu iPhone (já comprei, só falta ele chegar)

Voltando ao quarto objetivo, eu ando com essa vontade de emplacar uma gíria. Estava trabalhando na saruel, mas veio outra correndo por fora.

Fazendo um breve resumo. Esses dias eu estava traduzindo um texto que tinha a palavra AWESOME e o verbo AWE. E a tradução precisava ter precisão. Daí fui consultar meu oráculo, a Marinão. Foi assim:

eu: Marinão, preciso da sua ajuda de tradução.
Marina: Manda, bb.
eu: Preciso escolher a palavra certa para traduzir awesome.
Marina: Ixi. Hahahaha
eu: Mas preciso também dizer ‘articles that inspire awe’. Awe maria!

Daí, vejam só. O Matias mandou um Awe Maria lá no Trabalho Sujo. Acho que agora vai. O meu quarto objetivo estará concluído e o quinto poderá subir para a quarta posição, que vai virar terceira logo mais porque a TIM disse que meu iPhone chega em até sete dias úteis.

Na verdade, todo esse trolololó, é para dizer que um cara chamado Paul Thurlby fez umas ilustrações bem bonitinhas com as letras do alfabeto. E o A é de Awesome.

PS1: O bom do Awe Maria é que cada vez que alguém diz Ave Maria está também dizendo Awe Maria. E todos ficam felizes para sempre.

Atualização: Lá no Trabalho Sujo tem mais um Awe Maria, esse bem discreto, quase subliminar. Se liga no jornal em cima do piano nesse vídeo do coralzinho Lisztomania. Há!

1.309 caracteres com espaço