Arquivo da tag: casa

Músicos ou europeus

siete musicos europeos v
Impressionante.

A bomba chegou por email. O assunto era “músicos ou europeus” e a mensagem trazia apenas um link. Cliquei e perdi o chão: era um anúncio de venda de um apartamento no meu prédio e lá estava a ordem de despejo. O texto dizia assim (era tudo caixa alta mesmo, um grito, um berro, uma expulsão):

“PRÉDIO ANTIGÃO NEOCLÁSSICO. PARA CLIENTES DIFERENCIADOS, ARTISTAS PLÁSTICOS, ARQUITETOS, INTELECTUAIS, MÚSICOS OU EUROPEUS.”

Ferrou. Somos uma jornalista, um designer e um bebê. Uma campineira, um brasilero e um micropaulistano. Uma brejeira, um saltimbanco e um carinha que a gente ainda não sabe o que vai ser. Era chegada a hora de amarrar a trouxa na ponta do cabo de vassoura e mudar de endereço. I don’t belong here, a frase lema de Creep ressoou bem alto. We don’t belong here.

O silêncio dominou nosso apartamento no prédião antigão. (Acho grosseirona essa descrição. Prefiro prédio antigo. Também detesto predinhoantiguinho, ouço isso dito numa voz fininha duma menininha chatinha segurando um caderninho com capa de passarinho. Que gracinha esse predinho antiguinho! Me dá vontade de dar um soquinho na boquinha. Mas voltemos.)

Eu estava me dando por vencida. Talvez meu lugar não seja esse mesmo, vi voltar essa nóia, sentimento de quem um dia quis fazer a vida na cidade grande. A gente sai da roça, mas a roça não sai da gente. Foi quando ele disse:

– Peraí, vê a metragem.

Eu pensei: metragem? Ou quilometragem? Minha cabeça já estava em Aiuruoca, Barreirinho ou Bichinho, Vinhedo, Valinhos, Joaquim Egídio. Acabou, já erá, um abraço. Descobriram tudo, fui pega, sou uma fraude, não deveria estar aqui, sou caipira pira pora, nossassenhora. Mas ele falou de novo.

– Helô, vê a metragem?

– Que metragem? Quilometragem?

– Do apartamento!

Fui ver. 164 metros quadrados. 164 metros quadrados! E a alegria voltou a reinar na jangada que é a nossa cama, onde estávamos esticados na preguiça dominical.

É que este predião antigão é formado por três blocos, um inho, um bloco e um cão. O bloquinho tem apês de 2 quartos. O bloco, de 3, é o meu, 130 metros quadrados. E o blocão, apês enormes, duas salas, três quartos e um quarto de empregada que abriga uma família inteira – claro, desde que não seja de ARTISTAS PLÁSTICOS, ARQUITETOS, INTELECTUAIS, MÚSICOS OU EUROPEUS.

– Acho que podemos ficar, ele disse. Se o blocão é para artistas plásticos e intelectuais, o nosso é para designers e jornalistas.

A quem interessar possa ou a quem possa se interessar, o anúncio é este.

2.467 caracteres com espaços

Anúncios

'Duplamente murado'

1. A leitura de anúncios de empreendimentos imobiliários é um hábito que cultivo. É bom pra sacar as tendências do momento no setor moradia.

2. “Muro duplo” é uma expressão ligada ao Muro de Berlim, o muro entre EUA e México e o muro entre Israel e Palestina. Só treta. Só fracassos da humanidade.

3. Texto de anúncio de empreendimento imobiliário publicado sábado no jornal:

Conceito de moradia pensado a partir da qualidade de vida. Projeto da ESDA, líder mundial em projetos urbanísticos. Empreendimento duplamente murado, com espaço amplo e muito verde.

Qualidade de vida. Projeto urbanístico. Duplamente murado. Na mesma frase? É muito paradoxo ou falência múltipla de tudo.

Se o prédio precisa de dois muros, se você quer viver cercado por dois muros, como você consegue sair de casa? E quando você sai, com que cara encara os seus vizinhos de bairro, esses selvagens que precisam ser duplamente barrados em nome da sua suposta tranquilidade?

 

993 caracteres com espaço

Devora geral

Faz semanas que eu estou com o verbo devorar na cabeça (eu devoro, tu devoras, ele devora, nós devoramos…). Coisa de mudanças, né? Você entra na sua casa recém-reformada e ela impõe o desafio: ocupa-me ou devoro-te. Incrível como a casa ganhou personalidade depois da reforma.

Daí quando eu estou menos fina, a esfinge grega dá lugar ao Djavan (Noutro plano/Te devoraria/Tal Caetano/A Leonardo DiCaprio…). Nada a ver com Caetano ou Leonardo DiCaprio. É o verbo que está na minha cabeça mesmo. Talvez a casa esteja me enlouquecendo. Ocupa-me ou eu te devoro tal Caetano…

Enfim, brisa à parte, foi no meio dessa febre verbal que topei com essa linda imagem de ressonância magnética de uma cobra digerindo um rato. Esquece o lado nojento da natureza e aprecie a beleza da imagem. Eu achei apropriada.

803 caracteres com espaço

Passe de mágica

Eu saí da casa dos meus pais já tem mais de dez anos. Então faz tempo que aprendi uma das piores lições da vida: mágica não acontece.

Algumas das mágicas nas quais eu acreditava:

– quando o rolo de papel higiênico acaba, outro novo aparece no lugar (vale para xampu, sabonete, condicionador, etc.)
– quando a lâmpada queima, outra nova aparece no lugar
– quando você termina de comer a bandeja de danoninho, é só esperar uns dias que aparece outra, na mesma prateleira da geladeira
– deu fome? o almoço está na mesa (al-mo-ço. Arroz, feijão, verdura refogada, salada, mistura, suco, sobremesa. Não bife e salada)
a garrafa de água gelada é um objeto mágico: ela é infinita e tem temperatura constante
– pãozinho feito hoje? Ele brota ali na cesta de pão (essa doeu, viu, quando eu descobri que era preciso ir à padaria todos os dias)

Ai, que tristeza. Essas são algumas das descobertas mais difíceis da vida. Com o bônus de elas virem junto da descoberta de que você é (até ali) uma criança mimada, sim, apesar de achar que é um adulto independente (por que, me diz, por que essa gana toda por independência!?).

PS: A imagem lá de cima eu peguei aqui
PS2: Tanto a minha mãe quanto meu pai continuam fazendo mágicas. A minha mãe recentemente passou por aqui e, plim, as coisas vão parar dentro de caixas que se empilham em grandes colunas. Sim, estamos de mudança. Meu pai, da última vez que passou por aqui também fez das suas. A máquina de costura estava quebrada e, shazam!, voltou a funcionar depois dos salamaleques dele.
PS3: Se eu fosse mágica e tivesse que tirar um coelhinho da cartola, faria o número ao som de cooooooelhinho-se-fosse-como-tu; daí a foto do coelhinho voltar a ser publicada num passe de mágica.

1.251 caracteres com espaço