Balada umbilical

Da primeira vez que vi isso aí, achei que era um monte de brigadeiro

Essas lindas criaturinhas são as bactérias que vivem no umbigo de pessoas que doaram amostras de suas sujeiras de umbigo para o projeto Belly Button BioDiversity.

Sim, as bactérias que moram no botão da sua barriga são únicas. São seus monstrinhos. Somente seus. E é preciso valorizá-los, cultivá-los e, eventualmente, eliminá-los (lava direito esse umbigo, porra).

O meu umbigo deve ter lá umas bactérias encarniçadas. É que eu tive um piercing ali, daí que tem uma espécie de gruta (porque o buraco nunca fecha 100%) que começa no umbigo e termina na barriga. Deve ser uma espécie de sala VIP ou lounge das bactérias que moram no meu umbigo.

Eu gostaria de descobrir que as minhas bactérias do umbigo são fanfarronas, vivem dando festas, chamando os vizinhos do suvaco, de atrás da orelha, de entre os dedos dos pés, do cantinho da unha do dedão, para essas baladas bacterianas que têm como principal atração o túnel onde um dia tinha um piercing.

Esse túnel pode ser que nem aqueles brinquedos de parque de diversões antigo: o Túnel do Amor. A balada rola no fundo do umbigo mesmo, daí as bactérias entram no túnel e lá dentro se formam os casais. Como a vida da bactéria deve ser curta, esses casais devem se formar e logo se reproduzir, tudo ali mesmo.

Uma macrofesta de micróbios! Em que a diversidade bacteriana é celebrada! Em que bactérias umbilicais namoram bactérias axilares sem nenhum preconceito! E desse amor livre e verdadeiro nascem novas bacteriazinhas, vivendo numa grande comunidade hippie em que todo mundo cuida de todo mundo!

E em pouco tempo, porque a vida bacteriana deve ser curta, ninguém mais sabe quem veio da onde, se veio de cima ou de baixo. Como uma grande família, em que todos são pais, filhos, irmãos, primos, tios e namorados, tudo ao mesmo tempo! Um ideal de harmonia bacteriana, bem ali no meu umbigo!

Que lindo isso… Agora eu vou ali tomar um banho. De álcool gel. E acabar com essa farra.

1.929 caracteres com espaço

7 Respostas para “Balada umbilical

  1. Macrofesta ou banquete? Tunel do Amor ou Dark Room?

    E sujeira de umbigo tem nome: badalhoca.

    • HAHAAHAHA
      Matias, Matias. Eu agradeço a oportunidade que você criou para eu poder explicar ao mundo o que é badalhoca. Badalhoca não é sujeira de umbigo não.
      Diz o Houaiss:
      Mistura de excremento e terra que pende da lã entre as pernas traseiras de ovinos e outros animais.
      Por derivação, em português claro:
      Badalhoca é os tiquinhos de merda que ficam presos no pelo do cu!
      Sempre quis escrever isso! Obrigada de novo.

      • Awemaria, que horror. Então o nome disso deve ser flúnflio. Essa sujeira de pelo cobertor com poeira é como se um cientista criasse um ser fofinho num laboratório no quintal de uma favela. Era pra ser de pelúcia, bonitinho, simpático, mas é quase um asterisco mole, com bafo.

      • “asterisco mole, com bafo”
        UAU

  2. sujeira do umbigo, também conhecida como FLUNFA (que é parente da coisa q junta no fundo do bolso da calça jeans)

  3. ahhhhhhhh… muito protex no umbigo! praticamente um holocausto bacteriano!

  4. e não personifica as bactérias! vai que eu fico com dó de matar elas….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s