A crise dos ladrilhos

No meio do que é uma das maiores crises que eu já vivi, recebi uma mensagem enigmática e inspiradora, diretamente da ilha de Lost:

Sent from my iPhone

Traduzindo em miúdos, quanto mais perguntas você faz, mais perguntas surgem. Pois eu concordo e digo mais: cada decisão que você toma leva a tantas outras a serem tomadas.

Isso está consumindo meus nervos, minhas veias, meu neurônios, minha alma e meus sais. Tudo parecia muito simples. Mas agora estamos num emaranhado, num labirinto, desorientados.

A primeira decisão foi fácil: o piso será de ladrilho hidráulico (já sabe, predinho antigo e pia de ágata levam a ladrilho hidráulico no piso e granilite na bancada). Decidido. Ladrilho. Muito bem.

Mas, mas, mas… qual? De que cor? De quais cores? Quantos? Todos? Socorro.

São centenas de desenhos. Conseguimos, a duras penas, escolher dois. O clássico gobeto (que já virou gobelin cá entre nós) e o bola quebrada (meu favorito).

O clássico gobeto, piso em 3D

Então foi preciso decidir as cores, entre umas 35, numa parede. Uma mais linda do que a outra. Um ladrilho tem três cores; o outro, duas. São cinco espaços de cor, 35 cores na parede. Lembrei do cálculo de fatorial e entedi, naquele segundo, porque o símbolo dele é um ponto de exclamação. Cinco espaços, trinta e cinco cores! (fatorial, faça as contas, dá um número bem alto).

Escolhidas as cores, o cara faz o ladrilho para você ter uma ideia de como fica. E a cada vez que isso acontece você pensa em outra cor que poderia ficar boa naqueles espaços. E quando um decide gostar mais de um, o outro decide gostar mais do outro.

Chamamos amigos para votar e continua tudo empatado, com leve vantagem para o gobelin. Mas e o medo de um belo dia acordar e não querer mais um chão 3D na cozinha?

A crise dos ladrilhos já dura 48 horas. Estou com olheiras. E logo mais vou ligar para o Júnior e pedir mais duas amostras. Mais duas. Já temos quatro. Serão seis. Seis amostras, seis promessas de uma cozinha incrível. Cinco serão desprezadas.

O elegante bola quebrada

PS: Se algum dia você quiser entrar nesse infernal processo e colocar ladrilho hidráulico na sua casa, recomendo que vá no Júnior. O cara é super gentil e faz um tour guiado pela fábrica se você for até lá. Fica no Bom Retiro, bem facinho de chegar.

1.998
caracteres com espaço

Anúncios

5 Respostas para “A crise dos ladrilhos

  1. gobelin!
    e, acredite, você não vai cansar.
    se cansar – o que eu não acho que vai acontecer – passa no cartão um piso novo. há!

  2. Magda Cristina

    Ah!!!eu fui no site do Junior,ainda bem que não estou ma pele de vcs…de olhar na telinha do meu computor eu queria uns vinte…imagino vc .Boa sorte , muita luz!!!!bjs

  3. nossa, drama. deixa que eu escolho!

  4. Atualiazação: a estampa está escolhida. O gobelin ganhou. Agora estamos no drama das cores. Tem a combinação marfim-marrom-rosa, a combinação amarerilho-amarelão-marfim, a branco-cinzinha-cinza… E isso que nem entramos nas cartelas de verdes… As novas amostras chegam amanha. Uma vez eleito o eleito, escrevo sobre ele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s